sexta-feira, 10 de junho de 2016

b. Através da semelhança

Para obtermos impressões adequadas a partir da Bíblia, às vezes, é necessário um contraste como indicado pelos cinco exemplos já mencionados; mas, por vezes, é necessária uma similaridade também, isto é, uma união de casos semelhantes, para obtermos uma corrente de impressões.

(1) Queixas das pessoas contra o Senhor

Caso 1
O Senhor Adormecido em um barco

Está registrado em Mateus 8:23-27 que, em uma ocasião, o Senhor Jesus cruzou o mar com os discípulos. De repente, surgiu uma grande tempestade no mar, mas o Senhor estava dormindo. Seus discípulos estavam em pânico e o despertaram, dizendo: "Salva-nos, Senhor; pois perecemos." Marcos 4 adiciona isso: "Tu não te importas?", como se estivesse sugerindo: Como você poderia ainda estar dormindo? Ao dizer essas coisas os discípulos estavam expressando a sua queixa contra o Senhor. Eles não só gritaram por socorro, eles também registraram seu descontentamento. Em tal instante, o Senhor Jesus levantou-se, repreendeu o vento e o mar, e houve grande bonança. Mas Ele, então, voltou-se e censurou-lhes pela sua pouca fé. Ora, o Senhor tinha Sua razão para repreendê-los, porque Ele tinha recém lhes dito: "Passemos para o outro lado" (Mc 4,35). Se Ele disse “para o outro lado”, eles iriam seguramente chegar ao outro lado. O que, portanto, tinham eles para temer no caminho, seja tempestade ou ondas ou qualquer outra coisa? O Senhor Jesus estava ensinando-lhes a lição de fé. O que é a fé? Acreditar no que o Senhor disse; ou seja, "vão para o outro lado." É absolutamente impossível para o barco naufragar para o fundo do mar após o Senhor ter dito: Para o outro lado. Isso, então, foi a razão por que o Senhor os repreendeu: porque eles não tinham acreditado.
Um fato mais surpreendente é que o Senhor Jesus nunca pede desculpas a qualquer homem. Normalmente, quanto mais instruída uma pessoa diante de Deus, mais desculpas ela vai pedir. Aquele que aprendeu mais é muito mais sensível ao sentimento dos outros, e, portanto, ele invariavelmente vai pedir mais desculpas. Mas o Senhor Jesus é excepcional - Ele nunca pede desculpas a ninguém. À primeira vista, neste incidente, os discípulos pareciam estar certos e o Senhor Jesus errado. A tempestade estava no auge e as ondas estavam passando por sobre o barco. "Não te importa que pereçamos?" Mesmo assim, quando o Senhor Jesus se levantou Ele não fez nenhum pedido de desculpas. O fato de não se desculpar é a Sua glória. Ele sabia que não tinha dormido demais; Ele não tinha feito nada de errado. Ele havia dito: "Vão para o outro lado" - e eles realmente iriam para o outro lado! Ninguém pode descobrir qualquer palavra falada pelo Senhor que estivesse vazia e sem efeito: ninguém pode encará-lo para culpá-lo em qualquer ponto. Isso prova o quão glorioso é o Senhor!

Caso 2
Mulher com fluxo de sangue que tocou o Senhor

O mesmo princípio é visto no caso da mulher com um fluxo de sangue tocando o Senhor, como registrado em Marcos 5. Quando aquela mulher O tocou, o Senhor virou e perguntou: "Quem tocou minhas vestes?" Os Seus discípulos disseram para Ele, "vês que a multidão te aperta, e dizes: Quem me tocou?" O tom deles revelou seu descontentamento com o Senhor. Mas o Senhor não disse: "Desculpe, perguntei da forma errada." Em vez disso, Ele olhou atentamente ao redor para ver quem tinha feito aquilo. O que Ele realmente queria dizer com Sua pergunta era: Alguém Me tocou, e vocês não sabiam. Você percebem apenas a pessoas que se amontoam, mas eu notei aquela que toca. A julgar pela aparência, o Senhor parecia estar errado e a denúncia dos discípulos parecia estar certa; mas na realidade o erro foi dos discípulos e não do Senhor. Nenhuma vez o nosso Senhor pediu desculpas a ninguém. Quão extremamente glorioso é este fato, que deve fazer com que nossos corações se curvam e adorem.

Caso 3
Lázaro morreu

Mais uma vez, como relatado em João 11, as pessoas queixaram-se contra o Senhor. "Senhor", disse Marta, "se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido." Ela estava culpando o Senhor por Sua chegada tardia. Ela não tinha enviado mensageiros a dias ele antes? E por que então Ele tinha que vir tão tarde? E por Ele ter de fato chegado tão tarde, seu irmão tinha morrido e tinha até mesmo sido enterrado. "Se tu estivesses aqui" deu vazão ao ressentimento profundo no coração de Marta. Ao vermos a cena de fora, a palavra de Marta parece ser justificada. No entanto, o Senhor entendeu perfeitamente o que estava fazendo. Ele estava propositalmente atrasado, ficando dois dias no lugar onde estava. Os homens poderiam considerá-lo demasiado tarde, mas o Senhor Jesus se atrasou com um propósito. Nosso Senhor nunca pede desculpas, porque Ele nunca está errado. Pedimos desculpas por que temos culpa; na verdade, se nós nunca pedirmos desculpas, estamos sendo realmente muito orgulhosos. Quanto mais mansos e humildes somos, mais rápido vamos pedir desculpas. Não é assim com o Senhor. Embora Ele seja humilde e gentil, Ele não tem nada por que se desculpar, uma vez que Ele nunca fez algo errado. Quando as pessoas expressarem o seu descontentamento com Ele, Ele não tem o menor sentimento de estar errado. Ele sabe exatamente o que está fazendo.
Há muitos casos no Novo Testamento semelhantes a estes. Vamos aprender um princípio aqui: que sempre que encontramos situações semelhantes na Bíblia, devemos colocá-las todas juntas. Dos três casos acima, podemos discernir um fato mais glorioso, que é: ao longo de toda a Sua vida, nosso Senhor nunca retirou uma palavra ou refez uma ação. Como é belo e glorioso este fato! O que é mais gloriosa: a cura de Lázaro ou a ressurreição de Lázaro dentre os mortos? Ele sabe que a ressurreição de Lázaro dentre os mortos é muito mais gloriosa. "Se crês, verás a glória de Deus."

(2) As pessoas desejam ensinar o Senhor

Caso 1
"Este bálsamo podia ser vendido. . . e dado aos pobres "

Às vezes as pessoas não só expressam suas queixas contra o Senhor, elas até mesmo pensam em instruí-lo. "Para que finalidade foi feito este desperdício de bálsamo?", perguntaram os discípulos. "Pois este bálsamo podia ser vendido por mais de trezentos xelins, e dado aos pobres" (Marcos 14.4,5). Este foi um caso de ensinar o Senhor. Os discípulos poderia pensar em alguma outra maneira de usar o unguento – vendê-lo e dar o dinheiro aos pobres. O Senhor, no entanto, sabia exatamente o que estava fazendo. Então Ele disse: "Ela praticou uma boa ação para comigo." O Senhor nunca disse uma palavra ou praticou quaisquer atos que Ele mesmo não soubesse. Ele não precisa de ninguém para melhorá-lO. Só os tolos algum dia sonharão com melhorar ou orientar o Senhor.

Caso 2
"Que isso jamais Te aconteça"

Quando o Senhor mostrou aos discípulos como Ele deveria ir a Jerusalém e ser crucificado, o que Pedro disse a ele? "Senhor, que isso jamais Te aconteça!" O Senhor, porém, respondeu: "Para trás de mim, Satanás" (Mat. 16,21-23). Peter desejou instruir o Senhor; e, em vez disso, sua tolice estava sendo exposta.

Caso 3
"Que tipo de mulher ela é"

Uma vez, o Senhor Jesus estava comendo na casa de Simão, um dos fariseus. Uma mulher entrou e se posicionou atrás do Senhor, aos seus pés - chorando, molhando os Seus pés com lágrimas, e limpando-os com os cabelos da sua cabeça. Simão falou dentro de si mesmo, meditando, "Este homem, se ele fosse um profeta, saberia quem e de que qualidade é essa mulher que o toca" (Lc 7,36-39). Vamos contemplar o espírito de Simão. Ele parecia entreter a ideia de dizer ao Senhor: Você deveria ter pelo menos julgado que tipo de mulher ela é antes de lhe permitir chegar perto de você e ficar a seus pés. Embora Simão não tinha aberto a boca, o Senhor conhecia o seu coração. Por isso, Ele disse-lhe a parábola do muito perdoado e do pouco perdoado. O que o Senhor tentou transmitir para Simão foi: Você não Me deu água para os pés, porque sentiu que pouco lhe foi perdoado; mas ela tem molhado meus pés com lágrimas, porque ela sentiu que muito lhe foi perdoado. Ao obter tal impressão, podemos facilmente ver como é tolo que qualquer homem tente ser conselheiro do Senhor. Além disso, vamos começar a conhecer Jesus de Nazaré de uma forma que nunca havíamos conhecido antes.

(3) O Senhor ama que as pessoas peçam grandes coisas

Ao ler cuidadosamente os Evangelhos, estamos impressionados com o quanto o Senhor ama que as pessoas façam pedidos a Ele. Quanto maior a demanda, mais feliz Ele é.

Amostra 1
"Se queres, podes limpar-me"

Vejamos a história de um leproso relatada em Marcos 1. De acordo com a lei judaica, aquele que tem lepra é proibido de ter qualquer contato com outras pessoas. Quem tocar um leproso é também contaminado (ver Lev. 13 e 14). Agora um certo leproso aproximou-se do Senhor Jesus. Por favor, note que esta própria aproximação foi em si ilegal. Ó, tenhamos a impressão correta aqui! Sempre que um leproso vem adiante, devemos ser imediatamente sensíveis sobre isso. A menos que alguém esteja disposto a gastar e ser gasto de si mesmo, ele irá espontaneamente reagir, dizendo: Você vem para me prejudicar! Eu não pode ter qualquer contato com você, então por que você vem!?! Este leproso, ao aproximar-se, não pediu ao Senhor para ser limpo; em vez disso, ele implorou: "Se queres, podes limpar-me." Quão forte foi o pedido! Ele colocou toda a responsabilidade sobre o Senhor - aquilo se tornou puramente uma questão de Ele estar não disposto. Esta não foi uma oração comum; esta oração testou o coração do Senhor. Além disso, o Senhor poderia facilmente ter apenas dito uma palavra para o leproso e, dessa forma fazê-lo limpo, mas ele usou a mão para tocar o leproso, assim como Ele falou a palavra, "Quero; sê limpo." Que risco! Suponha que o leproso não fora feito limpo; então o próprio Senhor seria corrompido! No entanto, com quão bom grado nosso Senhor se comprometeu com a situação. Ele arriscou Sua própria santidade e pureza em Suas medidas tomadas para o leproso. Ou ambos foram limpos ou ambos estão contaminados; ou os dois foram lançados para fora do acampamento ou ambos voltaram para o acampamento. Ó, quão alegremente o Senhor gasta-Se. Que hábito caro Ele tinha!

Amostra 2
"Descoberto o telhado"

Marcos 2 narra como quatro homens trouxeram um homem doente de paralisia ao Senhor Jesus. Eles não podiam chegar perto por causa da multidão. Então eles "descobriram o telhado" onde o Senhor estava e baixaram o leito em que o paralítico estava deitado. Agora vamos novamente ser com toda razão impressionados com a situação: Aqui está o Senhor, que deve, neste momento, estar extremamente ocupado, com uma multidão de necessitados rodeando Ele. No entanto, estes quatro homens desceram o paralítico pelo telhado. Naquele dia, o Senhor estava usando a casa dos outros para pregar. Como problemático, portanto, deve ter sido o fato de que esses homens teriam de consertar o telhado, já que o tinham rasgado. Longe de alertá-los para não fazer isso da próxima vez, o Senhor parecia estar satisfeito com a sua forte solicitação. Parece que, quanto maior a demanda sobre Ele, mais feliz ela O deixa. É assim que chegamos a conhecer o Senhor que Ele é. Se não conseguirmos obter essa impressão, como podemos conhecê-Lo?

Amostra 3
"Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim"

Quando o Senhor estava saindo de Jericó, Bartimeu clamou: "Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim" (Mc 10,47). Muitos o admoestavam a se acalmar; mas ele clamava ainda mais. Quanto ao próprio Senhor, Ele não gostava de tal clamor. Por acaso não está escrito: "Ele não se esforçará, nem gritará; nem qualquer um ouvir a sua voz nas ruas" (Mat. 12.19)? Embora Ele possa ter Sua própria preferência, mesmo assim, quando uma pessoa clama para que Ele gaste a Si mesmo, Ele terá prazer em curá-lo. O Senhor ama que as pessoas abram suas bocas e peçam grandes coisas dEle. Com bom grado, Ele quer dispensar abundante graça.

Amostra 4
"Os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos"

O princípio do Senhor gastando-Se torna-se ainda mais claro no caso da mulher cananéia. O pão foi preparado para as crianças (de Israel); mas, disse esta mulher gentia, “mesmo os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos” (Mat. 15.27). Aqui estava uma demanda que ultrapassava os limites; mas o Senhor estava satisfeito com essa demanda. Ele não só respondeu sua oração pela cura de sua filha, mas também elogiou sua grande fé. Muitos são tais exemplos nos Evangelhos. Se recebermos corretamente essas impressões, seremos capazes de conhecer o coração do Senhor nestes assuntos.

Amostra 5
"Eu creio; ajuda a minha incredulidade "

Quando o Senhor Jesus desceu do monte da transfiguração, Ele encontrou um pai que trazia seu filho possuído por um demônio. Agora este homem, deve-se notar, foi repreendido pelo Senhor (cf. Mc 9,14-29). O Senhor não tinha censurado o leproso que veio a Ele; nem repreendeu o homem paralítico que veio através do telhado. Pelo contrário, Ele tinha ficado feliz com as suas exigências excessivas. Este pai, será lembrado, tinha trazido seu filho pela primeira vez aos discípulos, que não conseguiram expulsar o demônio. Então agora ele veio ao Senhor. Quando lhe foi perguntado há quanto tempo isto vinha acontecendo ao seu filho, o pai respondeu: "Desde criança. E frequentemente o tem lançado no fogo e na água, para o destruir; mas, se podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos" Retomando a palavra, o Senhor Jesus disse: "Se tu podes! Tudo é possível ao que crê." O que o Senhor quis dizer foi: você estava perguntando "Se tu podes "; você deve saber que "tudo é possível ao que crê." O problema reside em saber se você acredita, e não em saber se Eu posso fazer.
Vamos tentar compreender a situação daquele momento. Esse pai era bastante tímido. Ele tinha o coração para vir ao Senhor, mas ele não acreditou no Senhor. Ele não conseguia acreditar em seu poder, pois ele disse: "Se tu podes fazer qualquer coisa." Esta palavra foi respondida com uma severa reprimenda do Senhor. Nosso Senhor não gosta de pessoas fazendo pequenos pedidos a Ele; Ele não tem medo de ter pessoas perguntando-Lhe “se você está disposto ou não”; Ou “você deve fazê-lo.” Mas a atitude do pai aqui foi: “Se você é capaz, tudo bem; se você não é, deixa assim; Os Seus discípulos não puderam, por isso não irá realmente ser um problema se você não puder também.” Perante esta atitude, o Senhor repreendeu-o, dizendo: Você ainda estava dizendo "se tu podes"; mas "tudo é possível ao que crê"! Ao ouvir esta palavra, o pai imediatamente gritou com lágrimas: "Eu acredito; Ajuda a minha incredulidade!” Sendo repreendido e mostrando sua culpa, ele se converteu ao Senhor. Agora ele acreditava e, assim fazendo, ele colocou toda a responsabilidade sobre o Senhor. Quão bela foi a cena! Quanto maior é a demanda da pessoa, mais feliz é o Senhor; quanto menor for sua demanda, maior se tornará o Seu desagrado. Que possamos ser pessoas sensíveis que permitem que Deus deposite essas impressões em nós. E assim veremos que os Evangelhos como um todo estão cheios da glória do Senhor.

2 comentários:

claudete flores disse...

A paz do Senhor Jesus esteja com os irmãos. Que Deus Pai os abençoe nesta empreitada, neste compromisso com a Sua palavra. Traduzindo, interpretando esta preciosa obra do irmão Watchman Nee, para que nós, filhos e irmãos, possamos juntos, crescer em conhecimento e graça. Continue firme na comunhão com o Pai, o Filho e o Espírito Santo, e tudo vai valer a pena.
Que a Paz, a Graça e a Misericórdia do Senhor esteja com todos os irmãos. Amém.
Irmãos em Tramandaí
Julio e Claudete

claudete flores disse...

A paz do Senhor Jesus esteja com os irmãos. Que Deus Pai os abençoe nesta empreitada, neste compromisso com a Sua palavra. Traduzindo, interpretando esta preciosa obra do irmão Watchman Nee, para que nós, filhos e irmãos, possamos juntos, crescer em conhecimento e graça. Continue firme na comunhão com o Pai, o Filho e o Espírito Santo, e tudo vai valer a pena.
Que a Paz, a Graça e a Misericórdia do Senhor esteja com todos os irmãos. Amém.
Irmãos em Tramandaí
Julio e Claudete